Marketing

“Mas isso é só Marketing”: pensam isso de você?

Acorde! Já estamos quase em 2020! Marketing não é mais sinônimo de “enganar as pessoas”. Os consumidores não aceitam mais negócios que fazem mil promessas “só como marketing”. Para se destacar no mercado, é preciso fazer diferente, e fazer bem feito.

Foi-se o tempo do Marketing focar em fazer promessas (embora muitas empresas ainda vivam nessa época). Mais importante que prometer, é cumprir o que foi prometido e, indo além, fazer mais do que o que se promete.

Por exemplo, na década de 1910 a Leite Moça lançou essa propaganda. Sem muitos meios de se conseguir informação, as pessoas tendiam a acreditar, inicialmente, nessas promessas. Até verem que o produto não era bem assim.

Mais recentemente, usando a estratégia de contar histórias para tentar aproximar a empresa com a marca, a Sucos Do Bem lançou algumas propagandas que logo foram alvo de críticas e denúncias no Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) por se tratar de uma história não tão verdadeira assim.

No tempo em que os meios de comunicação em massa eram restritos e precisava de muitos investimentos (ou seja, quando os poucos lugares para se fazer anúncios eram os rádios e as televisões), o controle da propaganda ficava, relativamente, nas mãos das empresas. Elas controlavam o que o cliente via e ouvia sobre elas.

Com as redes sociais, isso mudou. A imagem de uma empresa não é mais criada pelo que ela fala de si mesma, mas pelo que as pessoas falam. Embora seja possível ainda anunciar no rádio e na TV, muitas pessoas (muitas mesmo) estão nas redes sociais falando sobre marcas – assim como as marcas também estão falando sobre elas mesmas. E há uma tendência maior de os novos clientes acreditarem no que outros usuários falam de uma empresa do que acreditarem no que a própria empresa fala dela mesma.

Um exemplo: a empresa X fala no seu site que sua entrega é rápida. Seu perfil na rede social é cheia de posts dizendo o mesmo. Ela faz anúncios em outdoors e afins sobre sua rapidez nas entregas. Ela quer que seus clientes comprem por sua entrega ser ágil. Quando um novo cliente busca seu nome no Google, aparecem as avaliações de outros clientes, com nota razoavelmente baixa e comentários do tipo: “empresa lenta para entregar. Não cumpre o que promete”.

O novo cliente faz o quê? Acredita na propaganda ou nos comentários de ex clientes? Provavelmente, nas avaliações. E pensa duas vezes antes de fazer a compra.

Esse é um exemplo clássico que mostra que o Marketing está nas mãos do cliente, e não da empresa. Você, como dono de um negócio, só tem uma coisa a fazer: aceitar. Se você não entrega o que promete, as pessoas vão reclamar. Se você tenta esconder as reclamações (por exemplo, apagando comentários indesejados), as pessoas vão reclamar mais alto – e provavelmente em locais que você não tem controle sobre o que é publicado e o que é apagado.

Portanto, caso você não esteja vendo resultados em suas campanhas publicitárias, lembre-se de que você controla muito pouco o que falam da sua empresa. Sua reputação será vista como boa ou ruim de acordo com o que você faz, não o que você promete fazer. Os resultados – e clientes – podem vir mais a partir do que acontece no dia-a-dia da empresa (atendimento, entrega dos produtos, processos, etc) e menos do que parece óbvio, ou seja, do investimento em propaganda.

Co-Fundador da Sempreende. PhD researcher (USP) em Marketing de Serviços. Mestre em Empreendedorismo e Inovação pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Pós-graduado em educação para adultos. Revisor da Revista de Administração e Inovação e da Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Tem experiência na coordenação de eventos relacionados a Empreendedorismo e Inovação em universidades. É autor de diversos artigos científicos publicados nas áreas de Marketing e Empreendedorismo. Por dois anos, atuou como professor de cursos de graduação na UFG, tais como Administração, Ciências Contábeis e Engenharias. Já ministrou módulos de Marketing e foi orientador de TCCs em cursos de pós-graduação da UFG.

0 comentário em ““Mas isso é só Marketing”: pensam isso de você?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: