Liderança

Inspiração como prática de gestão

Para Falconi, líder é quem bate meta, com o time e do jeito certo. O principal desafio da liderança é conseguir resultados através das pessoas e fazendo aquilo que se fala. Isso não é uma tarefa fácil, 82% dos participantes de uma pesquisa publicada pela Gallup em 2016 não consideram seus líderes inspiradores.

Lencioni fala da confiança como a base de uma equipe que atinge resultados. Nesse sentido, Sinek afirma que um bom líder promove um ambiente no qual as pessoas se sintam seguras, um forte sentimento de que vale a pena se importar com o outro, pois ele faria o mesmo por mim, é o que sustenta uma equipe coesa e engajada em conquistar um objetivo comum. Liderança aqui não deve se confundir com autoridade. Ainda concebemos um modelo hierarquizado das organizações, no qual impera o famoso dito popular: “manda quem pode e obedece quem tem juízo”. Tal modelo, no entanto, não promove líderes que inspiram e, como consequência, não favorece os resultados da equipe. Dados da McKinsey apontam que funcionários motivados são 46% mais satisfeitos com o trabalho e possuem uma performance16% melhor.

No dia a dia do trabalho existem dois entraves importantes para o desenvolvimento de uma liderança inspiradora. Primeiro, as práticas organizacionais promovem cotidianamente o desempenho por competitividade. Nessa perspectiva, alta performance é qualificada como atingimento de números – mesmo que sejam resultados de curto prazo ou que tenham um custo alto de turn over e a perda imensurável de talentos. Vejam, isso é radicalmente oposto à construção de confiança. Segundo, lidera quem é capaz de se importar com os outros. Atravessar nosso desejo narcísico de sermos reconhecidos sempre como os melhores e mudar o foco para o desenvolvimento das pessoas que nos acompanham demandam muito trabalho, essa é uma tarefa heróica em tempos que recompensam o individualismo. Para Daniel Goleman , mais do que capacidades técnicas ou cognitivas, à medida que se cresce na hierarquia é fundamental que um líder desenvolva sua inteligência emocional. É preciso conhecer a si próprio para conhecer o outro, só é capaz de inspirar confiança nos demais quem é transparente consigo mesmo.

Inspirar é tarefa da liderança, assim como definir metas e fazer follow up dos planos ação. Tenha clareza do seu propósito como líder, por que você faz o que você faz? Por que as pessoas devem se importar com isso? Defina objetivos específicos e estabeleça um diálogo transparente. Tenha interesse genuíno pelas histórias das pessoas com quem você trabalha. Nós somos menos racionais do que imaginamos e sabemos quando nos relacionamos com quem verdadeiramente se importa conosco. Confiança não se constrói com instrução, mas com convivência. Nossa capacidade de inspirar as pessoas tem muito mais a ver com aquilo que buscamos com afinco e praticamos com persistência do que com uma habilidade extraordinária. Inspir-Ação deve ser uma prática de gestão.

Professora dos cursos de Storytelling e Liderança na Sempreende, facilitadora de aprendizagem, pesquisadora de carreira e gênero, interessada em pequenas histórias que mudam o mundo.

0 comentário em “Inspiração como prática de gestão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: